HomeDecidindoA experiência de quem já comprou uma franquia de outro franqueado

A experiência de quem já comprou uma franquia de outro franqueado

A experiência de quem já comprou uma franquia de outro franqueado

Sandro Alves, da Depyl Action e Evandra Dinkoski, da Croasonho compraram suas franquias de franqueados que já operavam suas lojas. Ambos consideraram boas oportunidades, mas em ambos os casos, eles não estavam à procura especificamente de negócios prontos. Foram os franqueadores que ofereceram as opções que estavam sendo revendidas nas localidades onde os dois procuravam investir. Os dois adquiriram franquias administradas por franqueados que não estavam à frente dos negócios.

Sandro Alves é engenheiro de telecomunicações e trabalhava em multinacional quando resolveu comprar uma franquia que atendesse o público feminino, juntamente com sua mulher, Rose Mary.  Quando Sandro fez contato com a franquia Depyl Action, especializada em depilação, recebeu uma proposta do franqueador para recomprar a unidade de Recife, que não estava indo bem porque a franqueada tinha outros negócios e faltava tempo para a dedicação à franquia. As dicas que o empresário dá a quem pretende comprar uma franquia de revenda são:

- Analise o negócio como se fosse comprar uma nova franquia. Converse com outros franqueados e visite outras lojas para saber se estão satisfeitos com o negócio

- Mantenha sempre um contato próximo com o franqueador, pois é ele que vai orientá-lo e não o franqueado que está vendendo a loja

- Procure saber como está a situação dos funcionários já contratados, tanto nas questões trabalhistas, quanto em relação à satisfação e ao treinamento oferecido

- Não tenha pressa em assinar o contrato e, por segurança, vale recorrer a um especialista que dê todas as orientações necessárias de como comprar uma franquia.

Depois de dobrar o faturamento da franquia que comprou de um outro franqueado em Balneário de Camboriú, no prazo de 1 ano e meio, Evandra Dinkoski sinalizou ao franqueador da Croasonho que gostaria de adquirir mais uma unidade da rede também em Santa Catarina. A unidade de Blumenau também estava à venda pelo mesmo motivo da anterior: os franqueados não eram presentes no dia a dia da operação. Evandra adotou alguns procedimentos para analisar o negócio em ambas as unidades, como ficar do outro lado da rua observando a movimentação de pessoas, consultar seu próprio advogado para analisar toda a documentação e, assim como Sandro, tratar sempre diretamente com o franqueador. Segundo ela, as franquias de repasse são um bom negócio porque já possuem sua clientela e não há o esforço inicial de ficar conhecido em uma cidade quando um novo negócio é aberto. Confira as dicas de Evandra para quem pretende seguir o mesmo caminho:

- Não considerar uma franquia de revenda como um negócio que está pronto. Ele deve ser construído todos os dias

- Saber que a gestão de pessoas será um desafio diário e estar sempre pronto para superar as dificuldades

- Ter uma boa reserva para o capital de giro, mesmo que a loja já esteja funcionando

- Saber que a compra local de alguns insumos pode fazer toda a diferença no caixa se a compra for mal feita

- Estar sempre pronto para substituir funcionários, mesmo se tiver que viajar constantemente de uma franquia para a outra, como é o caso de Sandra

- Dedicação total ao negócio. Trabalhar duro, desde a abertura, até o fechamento da loja.

Compartilhar:
Sem comentários

Deixe seu comentário