HomeDecidindoComo saber se a franqueadora pode quebrar?

Como saber se a franqueadora pode quebrar?

Como saber se a franqueadora pode quebrar?

Alguns indícios podem ajudar a antever a falência da rede, diz especialista

Respondido por Marcus Rizzo, especialista em franquias e editado por Priscila Zuini. Originalmente publicado na Revista Exame.

 

Como qualquer outro negócio, organizações franqueadoras podem desaparecer levando redes enormes à falência. Em 2010, 18 empresas franqueadoras, pelo menos, fecharam suas portas.

Antecipar a quebra não é uma tarefa fácil, mas há alguns indícios que podem ser observados. Para começar, faça uma investigação na quantidade de litígios com a rede franqueada.

Um dos sinais é quando os franqueados não são atendidos nas expectativas financeiras. Eles não estão ganhando dinheiro como esperavam ou mesmo como foi prometido. Uma frase comum na rede é: “Os franqueados perdem dinheiro, as franquias não apresentam rentabilidade”.

O crescimento acelerado baseado em forte agressividade no marketing de vendas de franquias sem estar alicerçado sobre um desempenho consistente do negócio e do próprio franqueado é um motivo para desconfiar.

Algumas franquias são lançadas para a venda através de intermediários (corretores e/ou consultores) sem uma base mínima inicial e sem terem adquirido o conhecimento e a experiência necessária para construir uma rede de franquias de sucesso.

Normamelmente, o franqueador personifica a rede, sua presença é constante, e de fácil acesso para os franqueados. Quando a franqueadora vai quebrar, o franqueador praticamente desaparece, sai de cena.

Se analisarmos os franqueadores que quebraram nos últimos anos, muitos estavam envolvidos em franquias peracionalmente complexas, que não preenchem as necessidades básicas dos clientes e são desorganizadas.

Franqueadores que não possuem unidades próprias e centralizam seu negócio na venda de produtos para a rede franqueada denotam falta de competência na operação e no controle da viabilidade do conceito do negócio.

Compartilhar:
Sem comentários

Deixe seu comentário