HomeOperandoO que acontece se o franqueador vende a empresa?

O que acontece se o franqueador vende a empresa?

O que acontece se o franqueador vende a empresa?

O franqueado continua obrigado a cumprir suas obrigações com o novo proprietário

Escrito por Marcus Rizzo, especialista em franquias e editado por Priscila Zuini. Originalmente publicado na Revista Exame.

Muitos franqueados são atraídos para uma franquia pelo entusiasmo e carisma de seu fundador. É normal que o próprio fundador tenha grande envolvimento e participação na escolha dos franqueados e principalmente no desenvolvimento de cada um deles.

Mas o fundador após vários anos de negócio pode vender a operação. Geralmente isto é uma significativa mudança para os franqueados, para a marca e o sistema.

Os novos proprietários certamente estarão focando suas ações em garantir que o retorno do investimento ocorra o mais rápido possível e, portanto, deverão introduzir novas ideias que podem ser aceitas de forma positiva ou negativa pelos franqueados.

Muitos franqueados acreditam que possuem o direito de rescindir o contrato de franquia quando seu franqueador vende os direitos a terceiros. Mas este não é o caso, mesmo quando o franqueador estiver em processo de liquidação. O franqueado ainda assim estará contratualmente obrigado a cumprir suas obrigações com o novo proprietário.

Por outro lado, o novo proprietário da rede será obrigado a cumprir suas obrigações como franqueador e, assim como seus franqueados, estará limitado aos termos do contrato de franquia. O comprador do negócio assume os direitos do franqueador e também todas as suas obrigações.

Em uma rede de franquias bem estruturada a mudança de propriedade poderá ter pouco ou nenhum impacto sobre os franqueados. Embora haja um período de adaptação, geralmente o novo dono tem o cuidado de melhorar o sistema e isso deve beneficiar a todos.

Compartilhar:
Sem comentários

Deixe seu comentário